Global Social

Para quem gosta realmente de amizade, de aprender e adquirir conhecimentos

Seja bem vindo(a). Agora está ainda mais fácil usar a rede Global Social, use o menu na barra de topo.Obrigado pela Visita. Volte Sempre.

Aproximamo-nos de uma nova realidade espiritual. Para podermos vivenciar e compreender esta nova mudança vejamos um pouco da história da nossa trajetória espiritual.

Homem “primitivo”

O homem primitivo ou “das cavernas” era portador da mais pura e elevada espiritualidade. No seu “primitivismo” refletia a sua conexão com o planeta e natureza. Na sua “ingenuidade” adorava aquilo que carecia para ele de explicação, trabalhando a perfeita comunhão e respeito pelos elementos: fogo, água, ar (vento), terra e éter. Dessa forma sua conexão com a Fonte Suprema estava garantida assim como também seu desenvolvimento dentro dos padrões evolutivos “adâmicos”.

Primeiras Civilizações

Após a chegada dos primeiros “visitantes” ao nosso planeta, o homem primitivo passou a ser manipulado não só geneticamente mas também nas suas crenças. Marcado ainda pela ingenuidade passou a adorar e a servir aos novos visitantes como “deuses”, dominado não só pelo medo mas também pelas ameaças da pesada “tecnologia de extermínio” que esses “deuses” possuíam.
Durante esta etapa em que os “deuses” interagiam diretamente com os humanos o conceito, mesmo que primitivo, de espiritualidade foi totalmente deturpado fazendo com que o ser humano esquecesse suas verdadeiras raízes de ligação com a natureza e o planeta.
A humanidade passa por situações traumáticas de destruição e devastação (mudanças climáticas), fato que foi registrado por todas as civilizações e povos antigos. É bom destacar que esse evento se encontra ligado a um aspecto cíclico planetário apesar de ter sido considerado um castigo divino. Grande parte da humanidade pereceu durante essa tragédia, enquanto os “deuses” observavam do “alto” a destruição.

Quando os “deuses” foram embora

Quando o planeta apresentou novamente condições climáticas de sobrevivência, os “deuses” voltaram e ajudaram a construir as primeiras civilizações das quais temos registro histórico (Suméria, Egito, Mesopotâmia, pré-colombianas, Chinesa, Hindu, dentre outras).
Com a população do planeta aumentando e alguns homens e mulheres já alcançando um grau intelectual aceitável (devido aos “casamentos” entre “deuses” e homens resultando nos “semideuses”), a intervenção “direta” desses seres “vindos dos céus” foi cessando.
O avanço intelectual de alguns humanos permitiu a transmissão dos conhecimentos a eles, preparando assim os primeiros “reis” ou líderes religiosos para governarem as diferentes civilizações e cidades do planeta.
Dessa forma e apesar de “saírem de cena”, eles, os “deuses”, garantiram o domínio e a permanência das suas estruturas de manipulação. Todos esses “líderes” ou escolhidos pelos “deuses” para governar os homens foram considerados “iniciados” pelas mais importantes religiões. “Iniciados” que funcionavam como intermediários entre os seres humanos e os “deuses”.
Assim, além de continuarmos “adorando” falsas divindades tínhamos dever perante os representantes delas. Nossa “espiritualidade” se aproximava mais ainda da ignorância e deturpação. Qualquer contato com a verdadeira divindade manifestada na natureza, qualquer “ritual” que nos ligasse às antigas raízes era considerado pagão e condenado.
Nascem, durante este período, as mais importantes religiões do mundo que ainda se proliferam pelo planeta, dominando e manipulando as pessoas.

Durante a Idade Média

Todos nós conhecemos este obscuro período da nossa história, quando fomos literalmente queimados não só na fogueira da inquisição mas também na fogueira da ignorância, pecado, culpa, medo e grande confusão. Quando as poucas civilizações, ainda “primitivas”, foram esmagadas pelas conquistas e colonizações das antigas “potências” e seus conhecimentos destruídos pela ignorância e domínio de monarcas e bispos. Época marcada pelas pestes, fome, miséria, guerras religiosas, mentiras, corrupção, etc.
Foi alto o preço pago por nós durante esse período. Porém, apesar de tudo conseguimos entrar numa época de maior abertura até chegar ao início do século passado.

Final do século XIX – início do XX

Nasce timidamente o que conhecemos como “Ciência Moderna”, com a eletricidade, os novos transportes, os avanços da medicina e os primeiros conceitos quânticos que formatariam os conhecimentos e pesquisas do novo milênio.
As falsas crenças continuam dominando o pensamento da humanidade, porém a ciência já compete com esses conceitos.
Ressurgem antigas escolas de ocultismo, mas são poucas as pessoas que se interessam por esses conhecimentos.
Época marcada pelas guerras mundiais, pela tecnologia da bomba atômica, pelo medo da destruição em escala mundial, etc.
A nossa espiritualidade se encontra ainda perdida, abafada por séculos e mais séculos de domínio e manipulação.

Segunda metade do Século XX

“Sopra o vento da liberdade” para aquelas pessoas que acordam para uma nova filosofia de vida. Os conhecimentos “ocultos” ressurgem, marcando a presença de grandes pensadores e filósofos.
Apesar disso, tudo continua fundamentado nas falsas crenças do passado, naquele conhecimento que os “deuses” deixaram e que seus representantes se encarregaram de preservar e incutir na humanidade.
Época marcada pelas transformações políticas, econômicas e pela degradação do meio ambiente devido ao crescimento desenfreado da indústria.
As guerras continuam, doenças novas aparecem e o medo da destruição em massa se confunde com as grandes conquistas espaciais pelas potências mundiais.
Já nas últimas décadas do século XX renascem fortemente os conceitos duma Nova Era onde podemos observar as filosofias e conceitos religiosos entrando em concordância com a ciência.
Porém a maior parte da humanidade continua mergulhada no mar dos dogmas “caducos” das religiões.

Século XXI

Os primeiros anos deste século trouxeram importantes mudanças no que se refere à espiritualidade, permitindo que uma “nova realidade” se estabelecesse de vez no coração de alguns seres humanos.
A consciência da ecologia renasce fortemente, assuntos como aquecimento global, poluição se tornam corriqueiros.
Enquanto as guerras, a miséria, a fome e as doenças continuam, os poderes religiosos e políticos decidem quem é dono da verdade, se Darwin com sua teoria da evolução ou a Bíblia com a teoria da Criação em “seis dias”.
Medo da destruição atualizado pela palavra terrorismo. A tecnologia dispara. A internet toma conta do mundo e a mídia se torna a porta-voz da manipulação.
Entre esse acúmulo de situações, uma pequena parcela da humanidade tenta “despertar” para uma nova realidade abrindo os caminhos e as portas para a libertação e a verdade...

Religião nada tem a ver com espiritualidade, porém quando uma pessoa é simpatizante ou participa integralmente de um dogma ou religião, passa a ser fortemente influenciada por esses conceitos e o que vai também estabelecer como a sua espiritualidade e divindade serão formatados. Vejamos os diferentes e mais comuns “estágios” espirituais dos dias de hoje.

• Pessoas ligadas às antigas religiões
Essas pessoas permanecem em parâmetros arcaicos de conceitos que não se encaixam mais na época em que vivemos. O desenvolvimento da espiritualidade se encontra atrelado a conceitos de “DEUS PAI” ou deuses menores onde o ser humano continua sendo colocado sempre num plano inferior, impuro, pecador, culpado, etc. As mentiras continuam sendo sustentadas, as falsas divindades adoradas e a maior parte das instituições que controlam essas religiões são marcadas pela corrupção, domínio político, condescendência com os poderes mundiais. Importante deixar bem claro que as pessoas simpatizantes dessas religiões e dogmas nada tem a ver com estas críticas que são dirigidas apenas para os “poderosos” que controlam essas religiões.

• Novas seitas e religiões
Preocupam, pelo seu crescimento, as mais tradicionais religiões. O fiel é envolvido em falsos conceitos de demônio, pecado, etc., instigando a pessoa a colaborar financeiramente com as Igrejas. Muitas vezes usando o medo e ameaças para isso. A espiritualidade dessas pessoas encontra-se totalmente deturpada, atrelada a fortes lavagens cerebrais e processos obsessivos em massa.

• Conceitos espíritas ou espiritualistas
Pessoas ligadas ou simpatizantes dos conhecimentos espíritas, não só no Brasil mas também no resto do mundo, trazem um ar de crescimento espiritual muito grande, renovando a espiritualidade e abrindo as portas para uma Nova Era. Idéias de multidimensionalidade do ser, eternidade da alma, reencarnação, caridade são estabelecidas na realidade espiritual de muitas pessoas. No entanto, mesmo havendo efetuado um grande avanço, ainda o espiritismo permanece ligado aos conceitos de karma e, por conseqüência, culpa.

• Os conhecimentos da NOVA ERA Trazem ainda mais luz e transformações, possibilitando ao ser alcançar um novo patamar evolutivo no que se refere à espiritualidade. Um degrau a mais rumo a esta nova realidade espiritual, pois dentro desse contexto a pessoa se encontra ainda sob influência de certo “apadrinhamento cósmico” que, na verdade, sempre existiu, atribuindo a entidades, mestres, guias, etc. (que ressurgiram das antigas tradições esotéricas, ocultistas, mitológicas e históricas), funções e cargos que “beneficiam” os humanos. Apesar disso essas pessoas são agraciadas por uma visão cósmica maior de aceitação de vida inteligente no resto do Universo assim como os verdadeiros conceitos de amor e fraternidade.

• Filosofias “xamânicas”
Rituais ligados aos elementos da natureza e suas reações alquímicas trazem ao ser humano um pouco da verdadeira lembrança da sua origem e conexão com a Fonte Primeva. Dessa forma os conceitos da verdadeira espiritualidade estão sendo resgatados a partir da simplicidade de vida e da volta à natureza.

• Pessoas céticas que se fundamentam apenas na ciência encontram-se num processo de mudança, pois percebem a limitação dos conceitos científicos, constatando a necessidade de unificação da ciência e da espiritualidade.

• Pessoas “perdidas” em seitas negativas sendo dominadas e vampirizadas pelas forças do mal.

• Pessoas que não demonstram interesse algum pelo desenvolvimento da sua espiritualidade mergulhadas na matrix e sistema político e econômico dos diferentes países.

O ser da nova realidade espiritual

• Não tem ligação nenhuma com qualquer religião ou dogma, reconhecendo suas mentiras e manipulações.
• Aceita apenas ensinamentos que tragam soluções espirituais, fundamentados no verdadeiro conceito de liberdade e não na ameaça, medo e destruição.
• Aceita os ensinamentos de mestres, filosofias e líderes espirituais sem importar a origem, porém sem idolatra-los.
• Aprimorou seus conhecimentos históricos e filosóficos reconhecendo a diferença entre DEUS-FONTE e TODAS as falsas divindades nas quais estão fundamentadas as religiões e culturas no planeta.
• Sabe que não é mais preciso o apadrinhamento cósmico, sabe que a solução dos desafios e respostas se encontra em cada um e não num ser celestial, entidade, santo, guia etc.
• Reconhece sua essência e multidimensionalidade aceitando conselhos apenas do seu grande professor: seu EU SOU.
• Sabe que os segredos da criação estão na natureza e que só é possível alcançar seus conhecimentos no perfeito respeito e comunhão com o planeta e todos os seus reinos.
• Não aceita o KARMA.
• Não tem mais CULPA.
• Conhece como funciona a matrix e as artimanhas dos seres que dominam o planeta.
• Reconhece a sua força e poder de criar.
• Cuida de seus pensamentos e sentimentos.
• Caminha rumo à misericórdia e amor incondicional.
• Luta pela verdade e liberdade.
• Não tem mais preconceitos.
• Reconhece-se como parte da Criação, merecedor do bom e do melhor.
• Sabe da responsabilidade de ajudar ao próximo, porém sem hipocrisias e falsa caridade, apenas se limitando àquilo que se encontra a seu alcance.
• Respeita a vida. Por isso se preocupa pela sua saúde, alimentação e cuidado energético.
• Reconhece a espiritualidade como um atributo intrínseco à alma, por isso sabe que é um ser espiritual capaz de extravasar todos os limites condicionantes tendo possibilidade de alcançar a sabedoria e iluminação.

Esses são alguns dos “atributos” e características do Ser Humano desta Nova Era ESPIRITUAL, onde nos aprofundaremos cada vez mais na verdade e na responsabilidade da consciência da nossa Co-Criação. Quando também saberemos a importância da nossa presença no planeta, o que nos levará à libertação definitiva da matrix ou rede que foi criada para nos prender nessa falsa realidade. Estaremos, assim, entrando numa Nova Realidade Espiritual onde a Vida, o Amor, a Liberdade e o Respeito imperarão nas nossas vidas.

Resumido e adaptado do livro “A Fé, o alimento dos Deuses” - Carina Greco
fonte-www.somostodosum.ig.com

Visualizações: 5

Os comentários estão fechados para esta entrada de blog

Novidades

Nota importante: Para ver as mensagens, os amigos e aceder as configurações use o menu da barra de topo.
Pagina Principal Página Principal

 Abrir o perfil

 Ver os recados.

 Abrir caixa de mensagens

 Ver pedidos de amizade recebidos

Lista de Membros Ver lista de Membros

 Configurações

Use o Menu lateral para:
Escrever mensagens aos amigos, adicionar entrada de blog, usar o gerar cartões, enviar presentes e flores.

Membros da Rede

Menu de Funcionalidades

Membros
Fotos/Videos/Blog
Entretenimento/Ajuda

Presença no Facebook

Grupo do Global no Facebook

Pagina Curtam, a Pagina no Facebook

© 2019   Criado por Adul Rodri (Adm).   Produzido Por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço