Venha fazer parte desse momento de amor e solidariedade pela saúde do esposo de Francisca de Caldas Menduiña e outros membros da rede que passem por momentos menos bons. Reze uma oração na capela virtual do global social, pode também deixar sua mensagem nos comentários. Segue o link da Capela. Capela do Global Social



Sofrimento por amor não é uma temática atual, muito pelo contrário. Desde a Idade Antiga, os casais abandonaram tudo para viver romances arriscados. Lutas, mortes e vidas colocadas em jogo por pessoas que lutaram para superar grandes obstáculos pelo(a) amado(a). O tempo passou e o amor ainda existe. Existe? Sim, mas a sua manifestação ocorre de maneiras variadas de acordo com a época e a sociedade que manifesta esse sentimento mobilizador. Quem não conhece um casal que se conheceu pela internet, seja numa sala de bate-papo, no Facebook, no Tinder ou em alguma outra rede social? Engana-se quem pensa que as relações são apenas pontuais. Para muitos, a internet é uma maneira de encontrar pessoas que têm gostos semelhantes, porém sem a limitação das grandes distâncias. Tecnicamente, a internet só aumentou a chance de você encontrar uma alma-gêmea apaixonada por videogame do outro lado do planeta, sendo que antes havia uma restrição para aqueles que moram nas proximidades. Relacionamentos a distância eram exceções no passado, enquanto hoje são cada vez mais frequentes. Interpretar a manifestação do amor sob essa ótica positiva é perfeitamente possível. A questão é que também possui uma faceta não tão favorável, que é a “coisificação” dos seres humanos e as relações “tapa-buracos”. Vale destacar que quando há consenso entre duas pessoas que sabem exatamente o que esperam do parceiro(a) não há absolutamente nenhum problema. Os obstáculos começam a aparecer quando visões diferentes deixam de se complementar e aprender mutuamente, passando a se cobrar excessivamente e viver de maneira infeliz. É muito difícil saber a hora de desistir ou de continuar tentando. O problema é que quando a tecnologia propicia uma maior facilidade para conhecer outras pessoas, desistir fica muito mais fácil. Como diz o cantor Tom Zé numa música sobre a cidade de São Paulo, eis que se forma uma “aglomerada solidão”, ou seja, podemos ter um(a) parceiro(a) por dia, baseando-se em relações rotativas que não criam raízes e não saciam a necessidade de não estar sozinho(a).
        

No final das contas, a internet pode ser usada de variadas maneiras, inclusive para o amor. Relações obsessivas e histórias maravilhosas ficaram mais fáceis de acontecer. A tecnologia não criou absolutamente nada no que diz respeito às relações afetivas, apenas facilitou a criação dos caminhos a serem trilhados, seja para a felicidade, seja para o sofrimento.

     
Com tecnologia ou não, o amor mais fiel é o amor-próprio.

Autor: Escrito por Diego Rennan da equipe Eu Sem Fronteiras


Visualizações: 73

Deixar um comentário

Você precisa ser um membro de Global Social para adicionar recados!

Entrar em Global Social

Fale com os membros

Ola deixe apenas uma mensagem por dia pois por limitações só são guardadas as ultimas 100 mensagens.

Novidades

Nota importante: Para ver as mensagens, os amigos e aceder as configurações use o menu da barra de topo.
Pagina Principal Página Principal

 Abrir o perfil

 Ver os recados.

 Abrir caixa de mensagens

 Ver pedidos de amizade recebidos

Lista de Membros Ver lista de Membros

 Configurações

Use o Menu lateral para:
Escrever mensagens aos amigos, adicionar entrada de blog, usar o gerar cartões, enviar presentes e flores.

Menu de Funcionalidades

Membros
Fotos/Videos/Blog
Entretenimento/Ajuda

Presença no Facebook

Grupo do Global no Facebook

Pagina Curtam, a Pagina no Facebook

© 2019   Criado por Adul Rodri (Adm)   Produzido Por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço