Global Social

Para quem gosta realmente de amizade, de aprender e adquirir conhecimentos

Ana Maria Gonçalves
  • Feminino
  • Caraguatatuba - SP
  • Brasil
Partilhar no Facebook
Partilhar

Amigos de Ana Maria Gonçalves

  • vandinha
  • Helena  Azevedo
  • Elisabeth  Rosa
  • jose saraiva
  • lindaura holz lima
  • cicera58
  • LUCIA ROCHA
  • ROSILENE ROSSETTI
  • maria odete monteiro jose
  • Joao Paulo menezes
  • João Martins
  • luisa
  • helio cavalcante neto
  • CRISTINE PIRES
  • Katia Alencar
 

Página de Ana Maria Gonçalves

Últimas atividades

Fotos de Ana Maria Gonçalves

  • Adicionar fotos
  • Exibir todos

Caixa de Recados (66 comentários)

Voce precisa ser um membro de Global Social para adicionar comentários!

Entrar em Global Social

Às 2:47 em 20 abril 2019, Adul Rodri (Adm) enviou...

Às 0:01 em 9 setembro 2018, Adul Rodri (Adm) enviou...


Às 0:20 em 25 dezembro 2017, Adul Rodri (Adm) enviou...

Às 1:39 em 19 dezembro 2017, Adul Rodri (Adm) enviou...


Às 1:29 em 2 novembro 2017, Adul Rodri (Adm) enviou...


Às 1:54 em 9 outubro 2017, Martinha (adm) enviou...


Às 21:39 em 13 junho 2017, Adul Rodri (Adm) enviou...



Às 20:50 em 6 junho 2017, Adul Rodri (Adm) enviou...
Amo Você!

Se tua vida depender
do meu amor viverás
além da vida. pois
lhe amo além do...

Amor!!

Às 23:26 em 13 março 2017, Adul Rodri (Adm) enviou...

Feliz Semana, com muita saúde e amor pelo seu próximo.

Às 3:40 em 14 dezembro 2016, Adul Rodri (Adm) enviou...

Boa noite, feliz Quinta-feira

A saudade me visitou
procurou em gavetas esquecidas.
Fotos amareladas contando momentos
era a realidade passada falando comigo.
Eu via cada semblante no túnel do tempo
sorrisos de crianças
passos nos jardins de uma casa amarela.
Muita lembrança a traça roía
um furo no papel corroía a face.
Desintegrada e comovida parti para trás
visitei a humanidade e entes queridos.
Peguei uma mão pequenina
senti o cheiro fresco na pele
ouvi alguém chamando a menina.
Voz serena e forte gritava Izabel...
Nesse mundo intocável eu bebi sorrisos
sorvi o contentamento que me falta aqui.
Na falta de espaço naquela gaveta
guardava um mundo
viajantes do espaço
herdeiros registados ali.
Um caderno de anotação vendia de tudo...
comprando saudade pagando com melancolia.
Desafiando a saudade invadindo essa casa
onde mora a senhora de tudo.
Observando a distância quão longe eu iria
atingida por um calafrio...
Gelado o orvalho caía
misturando a lágrimas
desaguava eu e o tempo lá fora.
Acomodei tudo na memória
fechando a gaveta saí dessa era.
Saudade sentida enegrecia em mim
feliz eu entrava, infeliz eu saia...
Trancada ali éramos tantas vidas.
Batendo a porta ela se apresentava
mostrando quem era
a dona da casa amarela.

Autor: Perséfone Diana


 
 
 

© 2019   Criado por Adul Rodri (Adm).   Produzido Por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço